sábado, 18 de agosto de 2012

A busca da joaninha!


    Certa vez uma pequena fada chorava copiosamente, muito sentida por ver tão seca sua flor preferida, que por motivo de doença da senhorinha que morava na casa do jardim, fora agora abandonada definhando ao sol.
    A joaninha - que é bichinho simpático e generoso por natureza -  estava ali de passagem e quis animá-la de algum modo.Pousou na sua mão
batendo as asinhas com rapidez para fazer cócegas...mas não adiantou. A fada com a mão a empurrou para o chão novamente. Mas a joaninha não desistiu. Voou mais alto, o mais que conseguiu e pousou então em sua cabeça.Mas também não adiantou. A pequena fada sentiu ela se enredando em seu cabelo, passou a mão e a retirou com delicadeza presa entre o indicador e o polegar. Colocou-a encima de uma folha e tentou recomeçar com as lágrimas, mas...estranho, não conseguia mais! Sentia-se triste, mas fora distraída de sua idéia fixa e agora outras lhe invadiam o pensamento.Uma delas era dar um jeito de lembrar aos parentes da tal senhorinha de aguar as flores durante a sua ausência...A joaninha percebeu que estava conseguindo animá-la e abriu asas novamente. Pousou por fim bem no cantinho da sua boca, fazendo cócegas á fada. Que conseguiu sorrir. Então a fada disse a joaninha.
-Te darei um dom muito raro por teres sido boa comigo e me divertido neste momento de tristeza: toda a vez que fizeres um ser humano, ou fada, ou duende ou mesmo Deus sorrir, terás sorte por sete dias e sete noites. Poderás procurar por novas flores sem te preocupares, e elas serão sempre solícitas em lhe abrir as sépalas e convidá-la para almoçar.
-E assim vem sendo desde então para as joaninhas, pois os seres humanos, por sua vez, acreditam que ela traz em suas asas o aviso de que logo chega o amor verdadeiro...

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Canção de sonhar no mar!


(Fotógrafo Neil Craver - Omniphantas)


Volto ao sonho em busca da pérola
Que escapou de minhas mãos nuas ainda
neste mar, mas noutra noite, noutro tempo...

E quando fecho os olhos, chamo o sono e penso

Vagam os sonho em busca deste mar
Mergulho fundo em busca de escapar
por entre os dedos deste amor intenso,
e á tona agora, sou pérola nua
perdida para sempre na noite o meu alento
- translúcida miragem-
desenho em agua clara
no deserto azul do pensamento.