segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Confissões da Leoa






Andando de um lado para o outro
E do outro lado para ti de novo
Eu ninava o amanhã,
Presa inconstante...

Mas nunca foi minha esta alvorada
De topázio azul,crisálidas de luz e marzipã...
o que eu embalo no peito é um oásis,
Eu persigo o que caço,
e defendo o que mato!
Esta carne que me serves esta insossa...

Eu que amainava a pressa, a ânsia, a prece,
Parecia sempre entregue
À minha  jaula.
Vivo a minha embriaguez de sonho
Adormecida em angústia,
Como poderias...se não me tocavas...

Eu preenchia o espaço
Minha canção de dor, um rugido
Claro, espatifando o silêncio em cores vibrantes...
Afiando as garras no silêncio,
Eu teci o poente...

Guardo eu círculos concêntricos meu coração de tocaia...
Não adivinhavas,
Quando eu saía, pensava saber
se eu voltava...
Equilibrando em meus olhos jarros d'água,
No peito alma acende-se em fagulhas
Insuspeitas,
Longíquas,
fratricidas, que trazem encoberta
sua intenção por entre as pálpebras...
Inundava templos de sangue,
Derramado em súplica, por minha causa...

Vencida em júbilo
Sabia que muito em breve
Seriam meus captores dilacerados...

O que o seu desejo não via,
Porque o orgulho de trazer-me em correntes
Cegava mais que o sol na vista cansada
Uma miragem no deserto em chamas,
Em  breve eu iria escapar...

Num rastro de pétalas de mel, línguas de chama,
No horizonte a desaparecer...
Mais dia, menos dia...arrastarei em minhas presas
A última noite...sangrenta...até desfalecer!



sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Para começar o ano com uma prece...






Que os sonhos se desfaçam em pólen
E germinem em outros jardins
Que o mel destes sonhos
Tragam doçura ao dia-a-dia...

Que os fogos, magnífico artifício,
Explodam os temores, refulgindo 
em beleza.
Que o medo que ainda resta
seja fumaça sumindo
nos céus da noite...

Que a noite faça transparecer
A luz de novos sonhos,
no vento que sopra com força
tangível nessa transparente
palavra, essa necessidade indizível,
RENOVAÇÃO.

Que nos sobre vontade e atitude
Para seguirmos sempre nosso coração...

E que chovam bençãos nos sorrisos
De quem se deixa molhar
E acredita
Que é possível ser melhor
para o ano novo que já chegou
E que ainda virá...

Blessed Be

Ginga Vasconcelos.