quarta-feira, 27 de abril de 2016

O Livro de Destino


                                                           (Destino, de Neil Gaiman).




Acaricio a lombada
Faço correr as paginas
Forço a unha do indicador
Em qualquer uma delas
E as imagens se descortinam

Idílicas
Catastróficas
Pétreas
Incertas...

Abro o livro na primeira pagina
Tão apagada...
Ilegível saga
Pouco a pouco
Letras e imagens
Mais nítidas
A música fica mais alta...

Melancólica
Vibrante
Apressa o ritmo,
Trágica.

Fecho o livro
Recomeço
De trás para frente
Faço correr as paginas
Uma a uma primeiro
Depois desespero
E tornam a ser aleatórias
Mais do mesmo
Paginas em branco
Rasgadas...

Arranco a pagina,
Nem leio,
Sei que um dia
Alguém encontrará
A letra de uma música rabiscada
A letra de uma mulher que não assina
Uma sina que se perdeu no mar, em uma garrafa...