quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Os vendilhões do templo...






Em tapetes estendidos pelo chão 
Vimos por meio desta entrada
comerciando com nossas certezas...
Por algumas moedas,
o pão,
o café,
um desdém travestido de apreço
mas a maior parte escambo,
por angústia, essa areia negra,
sempre troco pela mais fina
que entra pelas narinas
congestiona os pulmões
e entope as artérias...
Mercadoria abundante
E cada dia mais cara,
Pois é ela que paga
pelo sexo,
pelo que é certo
e pela sexta...
paga os boletos,
assegura as férias,
o mau atendimento,
e garante a descendência
enquanto você ascende ao túmulo
vendido, trocado, partido
por nada!

Nenhum comentário: